segunda-feira, 19 de novembro de 2007


हमको हमिसे से चुरालो! दिल में कहीं तुम चुपलो! हम अकेले हो न जाये, दूर तुमसे हो न जाये, पस्से अयो, गलेसे से लागलो! Nos dias que correm tenho cada vez mais a noção do que é liberdade, do que é viver agarrado a sonho - "I HAVE A DREAM" -, de persistir na perseguição a alta velocidade dos meus objectivos, dos meus horizontes; infringindo todas a regras de bom comportamento "rodoviário", e tendo porém, a total noção de que a cada manobra está associado um risco...um risco de perder tudo aquilo que conquistei até hoje...um risco de passar de um mundo para o outro, com qual me identifico, mas do qual também receio! Por mais trilhos sinuosos que sejam, por mares mais revoltados que estejam, por relâmpagos mais luminosos que clareiem o céu, os dois pratos da balança são difíceis de escolher, pois neles reside o futuro. É nas suas "mãos" que deixo o destino.

1 comentário:

Helder Gomes Silva disse...

Nós portugueses descobrimos grande parte do mundo com risco, mas com medo. Primeiro conquistámos Ceuta e só depois tentamos descobrir Africa e o caminho maritimo para a India. Sem arriscarmos não descobriamos as Ilhas, Cabo Verde ou o Brasil.
Nunca te esqueças:

"Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu."

Quanto terás de passar para que a escolha seja tua. vale a pena: tudo vale a pena se a alma não é pequena.